20 de fev de 2015

Com Anne Hathaway, 'Song One' inspira os admiradores de música

Eu fiquei procurando um filme que me inspirasse a retornar com meus textos aqui no Cinestrela. E acredito que achei um perfeito, daqueles filmes que eu gosto muito, sabem? Aqueles que eu acho perdido por aí, vejo sem muita pretensão e termino com a boa sensação de que encontrei algo que valeu a pena.

Esse é o caso de “Song One”, ainda sem tradução para o português e sem previsão de estreia por aqui. O filme conta a história de Franny (Anne Hathaway), uma jovem antropóloga solitária que está tentando tirar seu doutorado vivendo no Marrocos. Após um dia comum de trabalho, ela recebe uma ligação desesperada da mãe: seu irmão sofrera um acidente e está em coma no hospital. Sem pensar duas vezes, ela corre e retorna para Nova York, cidade onde a família reside.

Sem uma previsão de que Henry (Bem Rosenfield) irá acordar, Franny começa a reviver a vida do irmão por meio de um diário que ela encontra em seu quarto. Vai aos lugares que ele frequenta, ouve as músicas que ele gosta e até come comidas que ele descreve gostar. Em uma dessas tentativas de conhecer melhor o irmão, ela conhece James Forester (Johnny Flynn), um famoso cantor indie, que é o maior ídolo de Henry.

A partir daí o filme se divide em uma história de duas pessoas se conhecendo e se apaixonando e uma história da irmã, que tenta ser forte, na espera que seu irmão acorde de um coma. Anne Hathaway é uma das minhas atrizes preferidas e mais uma vez ela não me decepcionou. Uma atuação impecável de uma mulher forte, dedicada e com uma profundidade admirável. Johnny Flynn, um ator não muito conhecido sul-africano, também vai muito bem. Além de muito bonito, com cara de rock star, o seu personagem conquista pela timidez e dificuldade para se expressar quando não está em um palco com seu violão.


Além disso, a trilha sonora do filme é espetacular.  As sequências indies dos bares e shows que Franny e James frequentam são harmoniosas e agradáveis. Vale um destaque para uma passagem onde ouvíamos “Leãozinho”, de Caetano Veloso, interpretada por um músico local com um sotaque engraçado e leve.

Fugindo dos clichês comuns dos dramas hollywoodianos, “Song One” é inspirador. Ainda mais para quem é fã de música e de filmes que se baseiam em músicas.

Um comentário:

Georgia Dias disse...

Anne Hathaway sempre dando um show de interpretação! E pra quem aprecia uma boa música, está aí uma ótima dica!